Sobre ” O Rei Leão – Musical “

Rei Leão cartaz

A animação que mais gosto da Disney é, sem dúvida alguma, O Rei Leão. Por isso, quando foi anunciado que o espetáculo estrearia em São Paulo, e no Brasil, dia 28 de Março de 2013, no então Teatro Brigadeiro, que agora é Teatro Renault, eu não poderia ter ficado mais animada. E claro, como uma vez não é o suficiente, fui conferir o espetáculo duas vezes – a primeira foi em Julho de 2013 e a segunda em Fevereiro de 2014. O musical fez tanto sucesso em sua primeira passagem pelo país que foi estendido várias vezes, mas, agora, depois de quase dois anos no palco, chega ao fim, em 14 de Dezembro.  

Então, aí vai o que eu achei do espetáculo. Só leia as próximas linhas caso você já tenha ido conferir ou se você não se importa com spoilers.

Rei Leão cortina
Cortinas

Nas duas vezes que fui o teatro estava completamente lotado. Na primeira, fui à noite – aquele horário de sábado/domingo às 20/21h. Já a outra foi à tarde – um sábado às 16h. Em ambas sentei na Plateia A – a visão foi perfeita.

No auditório tocava um arranjo instrumental das principais músicas do filme, já colocando todos em clima de “Rei Leão”.  Então, começou. As luzes se apagaram e veio um “aaaaaaaaah” do fundo, dando inicio a “ Ciclo sem fim”.

Em minha opinião a parte mais legal do espetáculo foi esse começo, pois não só o palco ganhou vida, mas também os corredores da plateia.  No palco, o Sol nasceu e, enquanto uns animais surgiam da coxia outros passavam no meio das poltronas e subiam no palco, como elefantes e rinocerontes, (Plateia A e B), além disso, havia as aves, que sobrevoavam o Camarote. Foi demais! As fantasias eram perfeitas e até deram aquele tom de realidade ou de “estou dentro do filme” – foi até arrepiante. Essa situação de atores/animais circulando pelo público se repetiu na música “Se Preparem”, cantada por Scar e as hienas.

Há músicas no espetáculo que não são cantadas no filme, como “Está em ti” (só aparece em “ O Rei Leão 2”), “Terra Seca” e “ A Loucura do Rei Scar” .

Já outras, estão no filme, mas são interpretadas de forma diferente no musical, a letra foi alterada. Eu, particularmente, não gostei – não sei se foi porque sempre assisti ao filme e ouvir aquelas canções de um modo diferente me causou estranheza, mas eu achei que não ficou legal mudar a letra – Gilberto Gil não fez um bom trabalho. Isso aconteceu com “O que eu quero mais é ser rei” que virou “Mal posso esperar pra ser rei”, “ Está noite o amor chegou” se tornou “ Dá para ver o amor aqui?” ,  “ O Ciclo sem Fim” passou a ser chamada de “ O Ciclo da Vida” e  a famosa “ Hakuna Matata” também teve a letra alterada para “ os seus problemas você deve esquecer, é só relaxar e aproveitar” – doeu meus ouvidos hahaha.

Outra coisa que não me agradou foi que a música “Está noite o amor chegou” /” Dá para ver o amor aqui?”, uma das mais famosas do filme, teve uma participação pequena na peça. Além do fato de não ter sido interpretada por Simba e Nala. Eu estava esperando que essa cena fosse ser uma das mais bonitas, mas não me impressionou.

A cena “O Desfiladeiro” é uma das mais bem feitas – é quando Simba está no desfiladeiro e ocorre a debandada dos gnus, ou melhor, quando Mufasa morre. Um jogo de bonecos e imagens foi criado e tornou o momento um tanto real. O final, eu achei emocionante, é realmente muito bonita a cena de Simba subindo na “Pedra do Rei”.

Em geral, os cenários e figurinos tem um ar simples se comparados a outros espetáculos da Broadway. Mas, é totalmente compreensível, afinal não deve ser nada fácil transportar a Savana africana para os palcos. Achei os cenários e figurinos muitos bonitos e bem feitos. Os atores que interpretam leões e hienas usam uma máscara sobre a cabeça – achei essa ideia incrível. E tudo é feito para lembrar a África, as estampas e cores, tanto nas roupas dos atores quanto nos próprios animais. Sem esquecer o fato de o personagem Rafiki ser interpretado por uma mulher africana – eu adorei. As falas e músicas (como “O Ciclo da Vida”) ficaram com uma pegada bem mais realista para uma peça que se passa na África.

O musical foi o mais bonito e o que mais gostei de todos que já vi – “A Bela e a Fera”, “ O Fantasma da Ópera”, “ Mama Mia”, etc. Claro, sou suspeita para falar, pois amo “ O Rei Leão”, mas é realmente muito lindo, não só pela história, mas pela composição num todo (atores, figurinos, cenários e por aí vai). A única coisa que me decepcionou mesmo foi a tradução das músicas, mas mesmo assim eu ainda iria assistir umas mil vezes se pudesse!

  • O musical foi inspirado no filme de 1994 e levado ao teatro pela primeira vez em 1997. Mas, não é uma cópia exata do filme!

Caso ainda não foi ver de perto, vá! Confira o marco da Broadway e tire suas próprias conclusões!

Rei Leão musical são pauloMais informações: O REI LEÃO – O MUSICAL


Giovana Meneguin

20/10/2014

* fotos: arquivo pessoal

VEJA TAMBÉM:

Hakuna Matata no Animal Kingdom

Disney In Concert em São Paulo

Anúncios

2 comentários sobre “Sobre ” O Rei Leão – Musical “

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s